Ansiedade: sintomas e tratamento

Ansiedade sintomas e tratamento

Exercícios físicos e atividades de lazer podem ajudar a amenizar o problema.

 

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a ansiedade atinge mais de 10 milhões de pessoas no mundo e é mais comum entre as mulheres. Ela pode ser provocada por situações externas, como desastres naturais e acidentes, ou surgirem de situações de preocupação imaginária e, em geral, se manifesta repentinamente, começando por volta dos 25 a 30 anos. “A pessoa ansiosa se preocupa por coisas que ainda não aconteceram. Com isso, ela fica estagnada por não conseguir tomar uma decisão”, explica a psicóloga Graça Miquelutti Camargo.

Sintomas de ansiedade

Entre os principais sintomas estão a preocupação, tensão ou medo exagerado; sensação contínua de que um desastre ou algo ruim vai acontecer; preocupação exagerada com a saúde, dinheiro, família ou trabalho; medo exagerado de ser humilhado publicamente; falta de controle sobre pensamentos, imagens ou atitudes; dificuldade de concentração; fadiga; irritabilidade e perda de controle; pavor depois de uma situação difícil.

 

Tratamento

 

Buscar ajuda de um especialista é essencial para minimizar o sofrimento e também para esclarecer se há um tratamento para ansiedade a ser feito com urgência. Mas, segundo a psicóloga, inicialmente, as pessoas não costumam reconhecer seus problemas como sendo ansiedade. Até porque, há também diversos sintomas físicos que podem estar associados a situações de ansiedade, como tensão muscular, espasmos e tremores, inquietação, fadigas, falta de ar, diarreia, ondas de calor e arrepios de frio, dificuldade para engolir, sudorese, dores no peito, formigamento nos pés, tontura e sentimento de irrealidade.

 

Por isso, a primeira busca de ajuda geralmente ocorre em pronto-socorros ou clínicos gerais, e o primeiro encaminhamento para clínicas para doenças neurológicas, cardiológicas ou respiratórias. “É comum que se tenha dúvidas sobre a natureza psicológica e comportamental dos sintomas”, diz.

 

Para amenizar o problema, saber como diminuir a ansiedade e não sofrer tanto com seus sintomas, a dica da psicóloga é manter uma rotina com prática de exercícios físicos, sono saudável e atividades de lazer, que ajudam a aliviar o estresse e, consequentemente, a ansiedade.

 

Fonte aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*