Bebidas energéticas serão proibidas na Inglaterra – por que elas são tão ruins para você?

Você já tomou algum tipo de bebida energética?

É cada vez mais consumido por pessoas ao redor do planeta. O uso é geralmente para dar mais energia e disposição para tarefas do dia-a-dia, e deixar a pessoa mais ativa, tirando o sono. No entanto, com o tempo o consumo da bebida passou a ser muito relacionado com festas e baladas e, consequentemente, com álcool. Ocorre que seu consumo exagerado e inadequado pode causar malefícios para a saúde, como insônia, dor de cabeça, palpitação e aumento da pressão. O energético, inclusive, já esteve relacionado à causa de muitas mortes.

Saiba que pesquisas recentes vincularam o consumo excessivo dos energéticos a graves problemas de saúde em crianças (e até mesmo em adultos). Para você entender melhor, esse tipo de bebida estimula o metabolismo e fornece energia através da ingestão de taurina, um dos seus principais componentes.

Os energéticos são estimulantes e aumentam o estado de alerta para a mente e para o corpo.

Além da taurina, a maioria das marcas inclui altos níveis de cafeína – geralmente cerca de 80mg em uma lata de 250ml. Essa quantidade é mais do que o dobro da encontrada em certos refrigerantes. As bebidas energéticas também costumam conter altos níveis de açúcar – além de outros ingredientes ligados à energia, como ginseng, guaraná e carnitina.

É por isso que em países como a Inglaterra, por exemplo, a venda de bebidas energéticas para crianças e adolescentes passará a ser proibida. (A proibição se aplica a bebidas que contenham 150mg de cafeína ou mais por litro.)

Além disso, um dos motivos da proibição da bebida na Inglaterra é uma tentativa de combater os níveis crescentes de obesidade infantil no Reino Unido. Mas quais são os riscos dos energéticos para a saúde das crianças e adolescentes?

As bebidas energéticas oferecem valor nutricional zero. Além disso, o excesso de cafeína pode causar pressão alta, náuseas, vômitos e convulsões.

Outros efeitos prejudiciais à saúde ligados ao consumo excessivo de bebidas energéticas incluem ansiedade, insônia, transtornos gastronômicos, dores de cabeça, hiperatividade e diurese. Um estudo realizado na Suécia também encontrou ligações entre bebidas energéticas e erosão dentária.

Altas ingestões de cafeína em crianças e adolescentes também podem prejudicar a concentração na escola. E para a saúde dos adultos? Quais são os riscos do consumo de energéticos?

O aumento de açúcar, calorias, cafeína e as potenciais armadilhas e efeitos na saúde nas crianças e adolescentes também se aplicam aos adultos. E o pior: os riscos, nesse caso, podem até ser maiores, pois os adultos, ao contrário das crianças, são mais propensos a consumir bebidas energéticas com álcool, o que é uma combinação perigosa, explica Lambert. Mas é preciso ficar alerta em relação ao consumo de álcool também por adolescentes. Um estudo realizado em 2011 descobriu que 53% das bebidas energéticas consumidas pelos adolescentes foram misturadas com álcool. Isso tem sido associado a comportamentos de risco aumentado, como o uso de drogas ilícitas.

A proibição da venda dos energéticos pode ter um impacto positivo sobre a obesidade e a cárie dentária e aumentar os níveis de concentração nas escolas, acreditam os especialistas Além disso, também pode promover uma melhora na dieta de crianças e adolescentes em geral, já que essas bebidas podem ser substituídas por outras alternativas mais nutritivas. Receita de energético natural (consumo indicado para quem tem a partir de 14 anos)

INGREDIENTES

  • 200 mL de água
  • 1 colher (sopa) de mel
  • 1 grama em pó ou dissolvido de vitamina C (não vale a efervescente)
  • 2 colheres (sopa) de cloreto de magnésio
  • 1 limão
  • 1 colher (chá) de gengibre ralado ou em pó

MODO DE PREPARO

Em um copo com 200 mL de água mineral ou filtrada, acrescente mel e vitamina C. Dissolva 33 gramas de cloreto de magnésio em 1 litro de água e coloque 2 colheres (sopa) dessa solução na bebida energética. Esprema um limão na bebida e coloque uma colher (chá) de gengibre em pó ou ralado. Mexa tudo muito bem. Finalize, se quiser, com duas ou mais pedras de gelo. Tome um ou dois copos dessa bebida diariamente.

Este blog de notícias sobre tratamentos naturais não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *