A comida engorda mais com o passar dos anos

A comida engorda mais com o passar dos anos

Aquele prato de macarrão de todo domingo, que antes não pesava na dieta , começa a fazer diferença na hora de abotoar o jeans.

No entanto, ganhar peso e envelhecer não andam necessariamente juntos. O peso extra não é resultado apenas do processo de envelhecimento, mas é principalmente fruto de mudanças de hábitos como exercitar-se menos e comer a mesma quantidade mesmo quando o ritmo do metabolismo diminui. Portanto, os motivos, além de fisiológicos, são também comportamentais.

Com o passar dos anos nosso organismo experimenta mudanças hormonais para economizar energia. Nosso metabolismo vai se adaptando a estas variações e começa a acumular gordura, por isso que devemos modificar nossos hábitos

Por que será que, na medida em que ficamos mais velhos, é mais difícil perder peso (ou mais fácil engordar)?

Este processo, normal em milhões de pessoas, tem ao menos uma explicação. Neste artigo contaremos os motivos pelos quais a comida engorda mais com o passar dos anos.

Mais anos=mais quilos?

O corpo evolui a todo momento e vai mudando com o passar dos anos. Os músculos, os ossos e o metabolismo mudam continuamente.

O organismo de uma criança de 10 anos não funciona da mesma forma do que uma pessoa de 25, de 40 ou de 65 anos. Na idade adulta, podemos ter mais ou menos músculos, se somos mais jovens ou mais velhos.

É normal então perceber mudanças em nosso peso corporal e em como a gordura vai se depositando em diferentes áreas onde talvez antes não estava ou era mais simples reduzi-la.

O gasto basal de energia não é o mesmo em cada etapa da vida. Quando somos mais jovens gastamos mais e, na medida em que o tempo passa, a cifra vai reduzindo. Basicamente porque a aproveitamos melhor.

Este gasto basal reduz por duas questões principais:

  1. Por que a composição corporal varia

Quando crescemos perdemos músculos e ganhamos gordura.

Por exemplo a porcentagem de gordura em um homem de 20 a 30 anos oscila entre 18 a 21%; entre os 41 e os 50 anos entre 23 a 25% e maior a 60 anos supera os 26%.

No caso das mulheres acontece o mesmo: 22 a 24% de gordura entre os 20 e os 30 anos; 27 a 30% entre os 41 e os 50 anos e mais de 31% depois dos 60 anos.

A gordura se acumula de forma natural, ao mesmo tempo em que os músculos reduzem porque estes últimos são os que mais energia gastam.

  1. Por que os hormônios mudam

Isso não só diz respeito às mulheres na menopausa, como também aos homens adultos.

O padrão hormonal tem muita relação com o que pesamos, pois pode nos fazer comer ou dormir mais, por exemplo.

Na medida em que crescemos, os hormônios trabalham para que economizemos energia, já que não temos a mesma vitalidade ou capacidade que antes. Isso quer dizer que é mais provável acumular gordura (principalmente ao redor da cintura).

Assim é como o corpo se prepara para a falta de atividade ou algum problema que requer calma.

A partir dos 30 é mais fácil engordar

Com isso, não se está dando rédea solta para as comidas fartas com a desculpa de que somente engordaremos ao passar dos 30. É para conhecer que as mudanças do organismo não aparecem somente na velhice.

Na medida em que fazemos mais anos, vemos como a cintura se alarga, o ventre ganha volume e a roupa não fica como antes.

Soprar mais velinhas no bolo e ganhar peso parece uma relação indiscutível da qual não podemos escapar, mesmo que sigamos mantendo os mesmos hábitos alimentares.

A batalha contra a obesidade e o sobrepeso é maior quando ficamos mais velhos.

A má alimentação, o estresse, os fatores genéticos e o sedentarismo podem influenciar na quantidade de quilos que ganhamos, assim como também o consumo de medicamentos e os desequilíbrios hormonais.

Justamente estes últimos são as principais causas de acúmulo de gordura corporal.

A partir dos 30 anos, o estrogênio, a progesterona e os androgênios não trabalham da mesma maneira que antes. E, já que são essenciais para a manutenção da massa corporal, é compreensível ver mudanças nos quadris, abdômen ou glúteos.

As fontes de energia que aos 15 ou 20 anos pareciam inesgotáveis vão se apagando com os anos e dão lugar a uma vida mais sedentária.

Se a isso somamos o trabalho ou os eventos mais relaxados (ir ao cinema ou ao teatro, jantar em um restaurante ou viajar para um lugar com “tudo incluído”) o resultado é: maior peso=maior idade. Uma equação muito simples.

Engordar não é a única mudança com a vida adulta

Agora… o que acontece se levo uma vida saudável, faço exercícios e me alimento bem? Pois deverá ter em mente a quantidade de calorias que precisa.

Por exemplo, aos 31 anos uma mulher de 60 kg precisa consumir 2000 calorias para manter seu peso.

A mesma mulher aos 45 anos terá um gasto basal de 1850 calorias.

Por isso, se seguir comendo 2000 por dia terá 150 “a mais”. Em aproximadamente seis meses ganhará 4 kg.

Não só devemos pensar nos quilos a mais que “aparecem” quando envelhecemos, como também nas doenças ou condições que vão aparecendo na vida adulta.

No caso da osteoporose pela redução óssea ou a artrose por problemas nas articulações.

Para evitar que os anos nos façam ganhar quilos é fundamental ir moldando os hábitos de acordo com a idade que temos. Por exemplo:

Continuar praticando exercícios, mesmo que sejam mais relaxados (ioga, pilates, natação, etc).

Reduzir a ingestão de gorduras, sal e farinhas.

Não fumar e nem beber álcool.

Dormir o suficiente.

Por último, devemos assumir que não se pode ter o mesmo corpo nem o mesmo manequim aos 25 que aos 50.

Além de que se passarão mais de duas décadas de vida, nossos hábitos se modificarão e o organismo acompanhará essas mudanças.

 

Fonte aqui:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *