Um novo estudo destaca: Café pode proteger contra Alzheimer e Parkinson.

O Alzheimer é uma doença neuro-degenerativa que provoca o declínio das funções cognitivas, reduzindo as capacidades de trabalho e relação social e interferindo no comportamento e na personalidade da pessoa. De início, o paciente começa a perder sua memória mais recente. Pode até lembrar com precisão acontecimentos de anos atrás, mas esquecer que acabou de realizar uma refeição. Sejamos sinceros! O café tem lá seus pontos negativos. Pode viciar, deixar os dentes amarelados e dificultar uma boa noite de sono. No entanto, pesquisas sugerem que beber café pode nos proteger contra Alzheimer e Parkinson.

O estudo foi publicado na revista Fronteiers in Neuroscience. Donald Weaver, codiretor do Instituto do Cérebro Krembil, no Canadá, não só tem interesse em entender melhor a relação da bebida com essas doenças, como também espera descobrir quais são os compostos que influenciam o declínio cognitivo relacionados à idade. Segundo os cientistas, o mau dobramento de proteínas pode causar distúrbios como Parkinson, Alzheimer e outras doenças igualmente graves. A boa notícia é que há evidências de que o café inibe essa falha.

Um novo estudo destaca como compostos  conhecidos como “fenilindanos”, que surgem durante a torrefação dos grãos de café, realmente impedem que dois fragmentos de proteínas comuns em Alzheimer e Parkinson se agrupem e se dobrem. Por isso o “milagre” não se aplica a qualquer café. Quanto mais profunda for a torrefação, maior é  quantidade de fenilindanos. Ou seja, o café torrado e escuro é o melhor protetor contra esses males. Isso tudo independentemente da presença de cafeína.

É a primeira vez que os fenilindanos são estudados como agentes que interagem com as proteínas responsáveis ​​pela doença de Alzheimer e Parkinson. Segundo o coautor da pesquisa, Ross Mancini, o próximo passo é descobrir se esses compostos podem entrar na corrente sanguínea ou atravessar a barreira hematoencefálica. Ainda há muito o que ser estudado ainda sobre o assunto. Por isso não podemos considerar, neste momento, o café um remédio eficaz na prevenção de Alzheimer e Parkinson. No entanto, as evidências já são um bom começo…

Com a evolução do quadro, o Alzheimer causa grande impacto no cotidiano da pessoa e afeta a capacidade de aprendizado, atenção, orientação, compreensão e linguagem. A pessoa fica cada vez mais dependente da ajuda dos outros, até mesmo para rotinas básicas, como a higiene pessoal e a alimentação.

O Alzheimer é a causa mais comum de demência – um grupo de distúrbios cerebrais que causam a perda de habilidades intelectuais e sociais. Na doença de Alzheimer, as células cerebrais degeneram e morrem, causando um declínio constante na memória e na função mental.

A demência varia em gravidade desde o estágio mais brando, quando está apenas começando a afetar o funcionamento de uma pessoa, até o estágio mais grave, quando a pessoa deve depender completamente dos outros para atividades básicas da vida diária.

Alzheimer no Brasil

No Brasil, existem cerca de 15 milhões de pessoas com mais de 60 anos de idade. Seis por cento delas têm a doença de Alzheimer, segundo dados da Associação Brasileira de Alzheimer (Abraz). Em todo o mundo, 15 milhões de pessoas têm Alzheimer, doença incurável acompanhada de graves transtornos às vítimas. Nos Estados Unidos, é a quarta causa de morte de idosos entre 75 e 80 anos. Perde apenas para infarto, derrame e câncer. (2)

Este blog de notícias sobre tratamentos naturais não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico.

Veja também

O pau-d’arco é uma planta muito rica em propriedades medicinais utilizada pelos índios brasileiros para tratar diversas doenças.

O estudo induziu o desenvolvimento de úlceras gástricas crônicas em ratos e os tratou com …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *